4 dicas essenciais para a efetiva gestão de pessoas no agronegócio

Por Jéssica Marques

0
Strider Academy

Tão importante quanto falar de política, mercado ou tecnologias na agricultura, é falar sobre gestão. A gestão de pessoas é  essencial para que a empresa alcance seus objetivos globais e específicos. Todas as áreas de atuação e estruturas organizacionais precisam se focar na gestão de pessoas! área de atuação ou da estrutura organizacional.

Marcelo Prado, fundador da MPrado Consultoria Empresarial, engenheiro agrônomo com mestrado em Gestão Empresarial e especializações em Harvard e Central da Flórida, foi palestrante no Strider Day 2018. Durante o evento, ele falou sobre a relação que existe entre a tecnologia e uma efetiva gestão de pessoas no agronegócio.

Veja as suas dicas:

  • Liderança

Para uma boa gestão de pessoas, a liderança é um dos pontos mais importantes. É essencial que o líder seja reconhecido como exemplo e, para isso, deve ter uma boa trajetória na empresa. Além disso, ele deve se comunicar muito bem com os membros do seu time e administrar as demandas internas e externas à sua área.

Estar alinhado ao plano estratégico da empresa é fundamental. Uma equipe que tem os objetivos claros consegue alcançá-los com mais facilidade. Segundo Prado, “a tecnologia é grande aliada em todas essas etapas”.

  • Investimento equilibrado

Atualmente, muitos agricultores fazem grandes investimentos em tecnologias de suporte ao campo, mas esquecem que é necessário investir também nas pessoas que viabilizam as operações. O especialista alerta para os perigos dessa desigualdade.

Quando falamos em investimento em pessoas estamos falando em capacitações, treinamentos, reforçando a cultura da empresa e valorizando o cooperador.

Quando não há equilíbrio, você corre o risco de ter uma equipe altamente engajada e eficiente, mas que não possui auxílio tecnológico para continuar evoluindo. Ou então ter tecnologias de última geração sem pessoas capacitadas para operá-las.

Para ele, é imprescindível que exista um equilíbrio de investimento entre todas as áreas, tanto temporal – que é o tempo que leva para engajar o funcionário com a empresa e sua causa –  quanto financeiro

Equilíbrio é, literalmente, a palavra certa!

  • Geração de valor

O processo de gerar valor precisa contemplar as pessoas que formam a equipe, pois são elas que realizam grande parte das operações.

Para que o valor seja agregado às pessoas, é preciso se preocupar com atualizações. Outro passo fundamental para a geração de valor da equipe é a consolidação da gestão e governança, analisando frequentemente o modelo de gestão. Dessa forma, é possível estabelecer uma estratégia, principalmente quando a família for parte deste governo.  

  • Comportamento vencedor

Um comportamento vencedor tem grande influência em uma empresa. Ele não deve partir apenas do líder, mas de todos da equipe. Agir de forma positiva é contagiante e gera um ambiente de trabalho mais produtivo e saudável.  “Vestir a camisa” da empresa é parte deste comportamento. Confiar na instituição que você trabalha e na missão que ela tem.

É importante ressaltar os pontos positivos de seu trabalho e não considerar pontos negativos como permanentes, apenas como pontos que ainda serão melhorados.

LEIA TAMBÉM: A GESTÃO DE PESSOAS É O QUE FALTAVA PARA A SUA EMPRESA CRESCER

Próximos desafios do agro

A busca constante por atualizações tecnológicas vai ajudar no principal desafio para os próximos anos: uma cultura organizacional que se preocupe igualitariamente com a inovação tecnológica e com a gestão. Com essa cultura enraizada na empresa, será possível criar estratégias efetivas que contemplem a tecnologia disponível e uma equipe capacitada e bem gerida.

Desta forma, até 2023, Marcelo Prado estima que será possível alcançar a alta eficiência, aumentar a produtividade e a rentabilidade, tornando a gestão agrícola cada vez mais tecnológica e eficiente.

governança-agronegócio
Gestão em campo

Mas, e se eu não investir em gestão, o que acontece?

Empresas que não se preocupam com uma gestão de qualidade, acabam ficando para trás. Com as atualizações das leis trabalhistas e ampliação do mercado, é preciso dar a devida importância à gestão. Trabalhadores não devem ser vistos apenas como uma mão de obra que, se for necessário, será substituída.

Os funcionários que não se sentem valorizados acabam deixando a empresa, o que causa grandes prejuízos. O tempo e dinheiro investidos no treinamento acabam por ser em vão. Além disso, a imagem da empresa como empregadora acaba prejudicada, já que os funcionários não permanecem ali.

Só uma equipe engajada e que conta com uma boa gestão consegue ter alta performance, gerando lucros para empresa. Se a equipe não estiver focada em ser excelente, a excelência da empresa fica em segundo plano.

Essa excelência é mutável, já que as inovações não param de chegar ao campo. Uma gestão eficiente está sempre em busca de atualizações, o que mantém a empresa à frente das outras. Trazer novas ideias é sinal de flexibilidade e de capacidade de adaptação.

Essas habilidades são muito importantes dentro da nossa economia acelerada e competitiva e o bom gestor sabe disso. Sem explorar suas possibilidades, a empresa continua sempre da mesma forma, enquanto seus concorrentes investem em novidades.

O principal problema que vemos para as corporações que deixam a gestão em segundo plano é a perda de competitividade no mercado. Esse é o pior dos riscos para qualquer agronegócio que almeja crescer e se destacar.

 

Como mensurar os resultados da equipe?

Uma equipe que tem alta produtividade é a que alcança o sucesso. Não falamos em produtividade apenas como a capacidade produtiva. Eficiência, eficácia e efetividade compõem esse profissional com boa produtividade.

Mensurar todos os processos, aplicar recursos corretamente e acompanhar os objetivos são etapas fundamentais de uma empresa. Isso não garante o sucesso, mas dá o caminho até ele.

Para começar a mensuração, vamos apresentar aqui algumas etapas imprescindíveis:

Metas

Estabelecer metas claras, mensuráveis, realistas e temporais é o primeiro passo para saber exatamente onde se quer chegar. É importante lembrar que todas as metas precisam ser compartilhadas entre todos os setores. Assim, cada um pode criar cronogramas para conquistá-las, e acompanhá-las fica mais fácil.

Tempo médio de execução

O tempo de execução também é fundamental para acompanhar a produtividade da equipe. O tempo médio do mercado é o que deve ser observado para estabelecer a produtividade média de execução de tarefas. Essa mensuração vale mais para atividades de rotina, principalmente no nível operacional.

Qualidade e quantidade  

Antes de definir as metas a serem alcançadas pela empresa ou pela fazenda, é preciso definir a quantidade e a qualidade dos produtos que serão produzidos. Esses números se tornarão metas, mas antes disso, precisam ter estudos que embasam a decisão.

A quantidade é o que define, em números, como vender determinada quantidade de produtos ou atingir o retorno financeiro. Já a qualidade é fundamental para aprimorar a qualidade da equipe através de treinamentos, assim todos saberão exatamente o padrão de qualidade que deve ser seguido.

Mensuração

Uma dica de técnica a ser usada na mensuração é o PLOCA (Planejar, Liderar, Organizar, Controlar e Ativar). Essas são as 5 funções administrativas, definidas em uma ordem específica para que acompanhar cada uma das etapas e identificar em qual momento existem correções a serem feitas.

Não se pode esquecer do feedback, isso é parte da boa gestão. Ele é fundamental para conseguir realizar correções nos processos.

E aí, como está a produtividade da sua equipe?

Conheça o Strider Academy, a mais completa plataforma de estudo para a gestão agrícola. Desenvolva suas melhores competências com eficiência máxima, tudo isso com professores de instituições renomadas e especialistas de mercado! Para saber mais, acesse o site: www.strideracademy.com.br

 

revista-strider-9-edicaoPowered by Rock Convert

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.