Impactos do aumento do dólar na agricultura

Por Jéssica Marques

0

O preço do dólar sobre o real muda todos os dias, várias vezes por dia.  Essa oscilação, que normalmente evidencia aumentos do dólar, impacta diretamente as indústrias do setor agrícola, para produtores e cooperativas rurais do Brasil.

Logo, o produtor precisa monitorar cuidadosamente as flutuações do câmbio e dos preços das commodities no mercado internacional. Com esse acompanhamento, é possível saber exatamente a hora de investir e a hora de reduzir os gastos para que não haja prejuízos, ou, pelo menos, que os prejuízos não sejam tão grandes.

Confira abaixo os impactos – positivos e negativos! – que o aumento do dólar pode ter na sua operação:

Impactos positivos

Para os produtores que exportam o que produzem, esse aumento é uma boa notícia. As exportações agrícolas representam 48% das exportações brasileiras. Os produtos importados são, normalmente, comercializados pelo preço atual do dólar, e se ele está mais valorizado, os produtos comercializados trarão mais lucro para o país de origem. Além disso, sempre que o dólar subir, a moeda brasileira será desvalorizada. Isso pode ser uma janela aberta para que os produtores brasileiros invistam mais em suas produções usando recursos nacionais.

 

Impactos negativos

Powered by Rock Convert

Na medida em que a taxa de câmbio se mantém alta, os custos também são afetados, ou seja, a produção também se torna mais onerosa. Muitos insumos utilizados no Brasil são importados. Com o aumento do dólar, o preço desses insumos sobe, gerando mais gastos para o produtor. Além de insumos, essa alta do dólar afeta na compra de máquinas, que normalmente também são importadas.

 

Como amenizar os impactos negativos?

Uma boa dica para os produtores se prevenirem é a estocagem de insumos, assim, sempre que o dólar estiver supervalorizado, ele não precisará investir em produtos tão caros. Mas cuidado! O fluxo de caixa é muito importante, e muito estoque é dinheiro parado A manutenção preventiva das máquinas também aumenta sua vida útil, o que evita gastos  com um novo maquinário, principalmente as importadas, que são comercializadas tendo o dólar como moeda de troca.

Os custos de produção variam de propriedade para propriedade, e dependem da boa gestão realizada em cada lavoura. Porém, em alguma medida, o preço do dólar impacta a vida de todos os produtores. Existem culturas que vão se beneficiar com o aumento, como a soja, o café e a cana, que são produtos com números expressivos de exportação. Já as culturas que não possuem alto grau de exportabilidade, acabam tendo prejuízos. É como uma balança: o equilíbrio existe se todos estiverem sempre atentos às cotações e se souberem lidar com as intempéries que podem surgir entre uma safra e outra.

Aproveite para conferir a cotação de hoje!

Assine a Revista Strider gratuitamente. Clique aqui e acesse a 6ª edição da publicação.

Leia mais notícias e novidades no Blog Por Dentro do Agro. Acompanhe nossas redes sociais em FacebookInstagramLinkedIn e Youtube.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.